(62) 3223 1077 / 3223 7863 (62) 98123 0647 / 98123 0784

Fitoterápico


fitoterapico
Fitoterápicos são medicamentos obtidos empregando-se, como princípio-ativo, exclusivamente derivados de drogas vegetais. São caracterizados pelo conhecimento da eficácia e dos riscos de seu uso, como também pela constância de sua qualidade.
 
Fitoterápicos são regulamentados no Brasil como medicamentos convencionais e têm que apresentar critérios similares de qualidade, segurança e eficácia requeridos pela ANVISA para todos os medicamentos.
 
Os fitoterápicos possuem várias indicações como: espinheira santa (indicado para gastrites e úlceras); guaco (tosses e resfriados); alcachofra (distúrbios digestivos, com estimulação das funções do fígado); cáscara sagrada (combate à constipação e prisão de ventre, melhora o funcionamento do intestino); garra do diabo (combate os sintomas dos reumatismos, artrite e artrose, com efeito anti-inflamatório); isoflavona de soja (indicada para diminuir os efeitos da menopausa, com alívio das ondas de calor); unha de gato (utilizada para dores nas articulações; tem ação analgésica e anti-inflamatória); hortelã (indicada para irritação no intestino, possui ação digestiva e vermífuga); ginkgo biloba (usado para normalizar os distúrbios circulatórios, perda de memória e diminuição da capacidade auditiva e intelectual, devido à má irrigação cerebral); óleo de linhaça (ação antioxidante, imunoestimulante, previne doenças degenerativas, cardiovasculares e apresenta ainda excelentes resultados no tratamento da tensão pré-menstrual e menopausa).
 
Como qualquer medicamento, o mau uso de fitoterápicos pode ocasionar problemas à saúde, como por exemplo: alterações na pressão arterial, problemas no sistema nervoso central, fígado e rins, dependendo da forma de uso.
 
Os cuidados são os mesmos destinados aos outros medicamentos:
 
- Buscar informações com os profissionais de saúde;
 
- Informar ao seu médico qualquer reação desagradável que aconteça enquanto estiver usando plantas medicinais ou fitoterápicos;
 
- Observar cuidados especiais com gestantes, lactantes, crianças e idosos;
 
- Informar ao seu médico se está utilizando plantas medicinais ou fitoterápicos, principalmente antes de cirurgias;
 
- Adquirir fitoterápicos apenas em farmácias e drogarias autorizadas pela Vigilância Sanitária;
 
- Seguir as orientações da bula e rotulagem;
 
- Observar a data de validade – Nunca tomar medicamentos vencidos;
 
- Seguir corretamente os cuidados de armazenamento;
 
- Ter cuidado ao associar medicamentos, o que pode promover a diminuição dos efeitos ou provocar reações indesejadas.
 
- Desconfiar de produtos que prometem curas milagrosas.




Desenvolvido por: Central Click Marketing Digital